Português Italian English Spanish

PESCA CRIMINOSA - Operação Malha Fina, do Governo do Tocantins apreende mais de 7 mil metros de redes

PESCA CRIMINOSA - Operação Malha Fina, do Governo do Tocantins apreende mais de 7 mil metros de redes

Data de Publicação: 14 de junho de 2022 11:56:00
Foram realizadas abordagens com vistoria em embarcações, apetrechos de pesca e acampamentos e orientações quanto à obrigatoriedade do porte da licença para pesca, além de informações sobre a proibição do transporte de pescado

 

*Redação

Os criminosos não dão trégua, colocando em risco o estoque pesqueiro dos rios brasileiros.

No Tocantins, a Operação Malha Fina, de fiscalização integrada entre o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) em parceria com várias outras instituições, teve sua primeira ação realizada no último final de semana, em todas as regiões do estado. O resultado dessa primeira ação, conforme o órgão de proteção ao meio ambiente do governodo estado,  foi a apreensão de 3,7 mil metros de redes utilizadas em pesca predatória, além de duas tarrafas e uma espingarda. 

A princípio, a Operação Malha Fina foi planejada para promover ações de fiscalização em cooperação com instituições federais, estaduais e municipais, com objetivo de coibir a pesca predatória no Lago de Palmas e em outros cursos hídricos do Tocantins, por tempo indeterminado. 

Nos dias 11 e 12, agentes de fiscalização do Naturatins, da Prefeitura de Porto Nacional, Marinha do Brasil, Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), Batalhão de Polícia Militar Rodoviário e de Divisas (BPMRED) realizaram uma de ronda ostensiva no lago da Usina Luiz Eduardo Magalhães e blitz educativa na avenida Juscelino Kubitschek (saída para o distrito de Luzimangues). 

Foram realizadas abordagens com vistoria em embarcações, apetrechos de pesca e acampamentos e orientações quanto à obrigatoriedade do porte da licença para pesca, além de informações sobre a proibição do transporte de pescado (exceto um exemplar, desde que esteja portando a licença para pesca amadora). Os fiscais também informaram sobre a proibição de descarte de lixo no lago e no seu entorno.

De acordo com Lucas Marchetti, que coordenou a equipe de fiscalização pelo Naturatins, na blitz foram abordados diversos veículos, motocicletas e ônibus interestaduais.

- Além das vistorias, passamos orientações quanto às regras atuais da pesca, emissão de licenças e entregamos a cartilha de pesca amadora e esportiva, que sintetiza de forma didática as normas vigentes para os praticantes da pesca no Estado do Tocantins - enfatizou. 

O resultado desta primeira ação no Lago da Usina, abrangendo os municípios de Palmas e Porto Nacional, foram 2,1 mil metros de rede de emalhar e duas tarrafas. Já na região de Sudeste do

 

 

Operação aconteceu simultaneamente em vários pontos do Estado e resultados em mais de 3,5 mil metros de redes apreendidas (Foto: Ascom/Naturatins)

 

Tocantins, os agentes de fiscalização do BPMA apreenderam mil metros de redes.

Paralelamente, outra equipe de fiscalização realizou abordagens no Lago da UHE, no perímetro do município de Lajeado e também na rodovia TO-010, que dá acesso ao município.

Já o rio Javaé, em Formoso do Araguaia, também teve seu curso percorrido pelos fiscais do Naturatins, onde foram encontradas atividades de pesca praticadas por índios e pescadores devidamente licenciados. Além disso, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) fez abordagens na ponte sobre rio Formoso, na BR-242. Nenhum procedimento de autuação por infração administrativa foi realizado. 

No município de São Sebastião no Tocantins até no encontro das águas em Esperantina, na região conhecida como Rebojo, a ação de fiscalização ocorreu entre os dias 9 e 11, e resultou na apreensão de 600 metros de redes e uma espingarda. 

Parceiros

São parceiros do Naturatins na Operação Malha Fina, a Fundação de Meio Ambiente de Palmas (FMMA), Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), Batalhão de Polícia Militar Rodoviário e de Divisas (BPMRED), Marinha do Brasil – Capitania Fluvial Araguaia Tocantins, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Civil por meio do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER) e pela Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente e Conflitos Agrários (DEMAG), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Guarda Metropolitana de Palmas (GMP), Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Porto Nacional.

*Fonte: Ascom/Naturatins

 

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário