Português Italian English Spanish

Quebrando barreiras para o envolvimento dos jovens nos sistemas alimentares aquáticos

Quebrando barreiras para o envolvimento dos jovens nos sistemas alimentares aquáticos

Data de Publicação: 9 de setembro de 2021 09:04:00
Um novo resumo estratégico mostra que os sistemas alimentares aquáticos têm o potencial de fornecer oportunidades de subsistência para os jovens.

 

Oportunidades de emprego para jovens estão disponíveis em toda a cadeia de valor do pescado (Foto de Chosa Mweemba)

 

*Por Sean, Lee

Governos, empresas e universidades devem intensificar esforços para garantir que os sistemas alimentares aquáticos ofereçam oportunidades decentes de emprego para jovens em países de baixa e média renda - exortaram os palestrantes em um evento Fish4Thought organizado pela WorldFish no Dia Internacional da Juventude (12 de agosto). 

À medida que o desemprego juvenil aumenta com os impactos da pandemia COVID-19 e mais jovens estão presos em empregos informais e menos seguros, um grupo de pesquisadores, especialistas da indústria e empresários se reuniram para discutir as ações necessárias para que os sistemas alimentares aquáticos atraiam os jovens e os forneçam oportunidades enriquecedoras de subsistência. 

O diálogo virtual incluiu o lançamento de um novo briefing estratégico do Programa de Pesquisa do CGIAR em Sistemas Agroalimentares de Peixes (FISH CRP),  Juventude na pesca de pequena escala e aquicultura .' Entre os painelistas estavam os co-autores do briefing, Indika Arulingam e Likimyelesh Woldegiorgis, pesquisadores da FISH do Instituto Internacional de Gestão e Água (IWMI), que apresentaram a pesquisa e conduziram a discussão sobre as aspirações, oportunidades e desafios dos jovens na pesca de pequena escala e setores de aquicultura da África, Ásia e Pacífico. 

Adquirir as habilidades e conhecimentos necessários pode dar aos jovens mais confiança para iniciar uma carreira em sistemas alimentares aquáticos (F: Divulgação)

 

Incentivando o emprego jovem  

A pandemia COVID-19 exacerbou ainda mais o desemprego entre os jovens, fazendo com que muitos perdessem suas fontes de renda. De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE),  o desemprego juvenil aumentou  de 8,6% no final de 2019 para 11,5% no final de 2020. 

Benedict Tan, o coordenador do programa e associado do portfólio da HATCH Blue, destacou um estudo na Indonésia, Tailândia e Vietnã que revelou uma grave escassez de mão de obra de trabalhadores temporários incapazes de viajar para as fazendas para trabalhar. Ele indicou que isso oferece uma oportunidade para os jovens locais, especialmente aqueles que estão desempregados, buscarem oportunidades de carreira em sistemas alimentares aquáticos. 

Neetha Shenoy, uma especialista em aquicultura da WorldFish, apontou para uma iniciativa do governo indiano de encorajar os jovens a aceitar empregos em sistemas alimentares aquáticos, fornecendo esquemas financeiros centrados na juventude para combater o desemprego durante a pandemia. Os jovens que retornaram às suas aldeias após perderem seus empregos devido ao COVID-19 podem aproveitar esses esquemas para iniciar seus próprios negócios de pesca e aquicultura. 

- Embora os sistemas alimentares aquáticos forneçam oportunidades de sustento para o envolvimento e emprego dos jovens, os jovens não consideram os sistemas alimentares aquáticos tão atraentes, pois são vistos como uma atividade tradicional e de trabalho intensivo que gera menos lucros - disse Shenoy. 

Ela recomendou aumentar a conscientização sobre sua lucratividade por meio de vários treinamentos, campanhas de mídia social e a introdução de tecnologias alimentares. 

O empresário Hammed Oni, que é cofundador e diretor administrativo da Frotchery Farms, com sede na Nigéria, concorda que é necessário mudar a mentalidade dos jovens. Ele deu exemplos de sua equipe indo aos acampamentos do National Youth Service Corps na Nigéria para compartilhar informações sobre oportunidades de emprego no setor e como isso é fundamental para a segurança nutricional e a economia do país. Os jovens interessados ??são então colocados em estágios e mentores através da Fundação Tony Elumelu, onde são treinados e, em seguida, empregados em toda a África. 

Tan sugeriu que os esforços de marketing dos governos também deveriam ser intensificados. Organizações de pesquisa, instituições de ensino superior e órgãos não governamentais como CGIAR, WorldFish e IWMI também desempenham um papel crucial na mudança da percepção negativa, apresentando jovens proeminentes e bem-sucedidos nos sistemas alimentares aquáticos. 

Apresentando sistemas alimentares aquáticos no currículo escolar  

Embora reconhecendo que programas na forma de cursos desenvolvidos no instituto de pesquisa e em nível universitário para jovens seriam úteis, Akintola Shehu, um professor associado de pesca no departamento de pesca da Universidade Estadual de

 

 

Alunos do Natural Resources Development College (NRDC) realizando cursos online de tilápia no renovado laboratório de informática do NRDC, em Lusaka, Zâmbia. Foto de Tabitha Mulilo. 

 

Lagos, era da opinião que uma reestruturação do sistema de educação nômade é necessário para preparar os jovens desde tenra idade para uma carreira em sistemas alimentares aquáticos.  

O sistema de educação nômade foi introduzido em 1989 para garantir que os nômades na Nigéria tivessem acesso igual a oportunidades educacionais básicas. Shehu compartilhou que o currículo atual ensina os pescadores a serem consumidores, não produtores. Ao incorporar os elementos de produção no sistema educacional, os jovens aprenderiam como e por que a pesca é vital para seu patrimônio e modo de vida. Isso, por sua vez, irá incentivá-los a participar do setor quando forem mais velhos, sugeriu. 

Shehu destacou que os pescadores geralmente são pessoas sem voz, portanto, são marginalizados. Adquirir as habilidades e conhecimentos necessários pode dar aos jovens mais confiança para iniciar uma carreira em sistemas alimentares aquáticos. Oni enfatizou ainda a importância de ter mentores para orientar os jovens sobre as habilidades e conhecimentos necessários por meio do treinamento. Apoiar grupos agrícolas, organizações de jovens e sindicatos vai diminuir a barreira de entrada no setor, especialmente para os jovens, disse Tan. 

Shakuntala Thilsted, líder global da WorldFish para saúde pública e nutrição e vice-presidente do Programa de Ação Advancing Equitable Livelihoods na Cúpula de Sistemas Alimentares da ONU 2021, concordou que os jovens se engajando e apoiando uns aos outros estão se tornando mais visíveis e juntos ajudam a fazer suas vozes serem ouvidas. 

Adoção de ferramentas digitais e reforma dos sistemas financeiros e de financiamento 

A adoção do uso de ferramentas digitais nos sistemas alimentares aquáticos é uma iniciativa importante para atrair jovens para o setor. Eles podem estar mais dispostos a participar após a digitalização, visto que a percepção e a realidade dos meios de subsistência do sistema alimentar aquático são trabalhosos e de baixo retorno. 

Atualmente, essas ferramentas digitais existem, mas não são amplamente adotadas por agricultores mais velhos ou menos experientes em tecnologia, explicou Tan. Como jovens inovadores, os jovens podem aproveitar aplicativos móveis, ferramentas digitais, tecnologia e outras tecnologias de comunicação da informação para aumentar seu valor e contribuições na cadeia de abastecimento. 

Jovens aproveitando a tecnologia nas cadeias de valor de peixes (Foto de Holly Holmes)

 

Os meios de subsistência do sistema alimentar aquático podem exigir capital intensivo e os jovens muitas vezes não possuem recursos de financiamento para iniciar de forma independente ou pagar empréstimos bancários antes da primeira colheita. Shehu exortou os atores estatais e não estatais nas finanças a desenvolver iniciativas de pagamento pró-juventude que sejam justas e considerem os ciclos de produção e colheita. 

Tan concordou que um sistema mais inclusivo com termos mais amigáveis ??ajudará a encorajar a participação dos jovens no setor. Ele destacou o sucesso da Equipe de Desenvolvimento Rural do Camboja com relação aos sistemas aquapônicos de pequena escala. 

Tan também recomendou que os governos se concentrassem no financiamento da aquicultura em pequena escala, em vez de iniciativas orientadas para a exportação. Isso ajudará a realocar recursos para onde são mais necessários, pois há uma abundância de oportunidades disponíveis para iniciativas orientadas para a exportação. 

Assista à gravação do evento  e  leia o resumo estratégico  para saber mais sobre os resultados do evento de lançamento para jovens na pesca de pequena escala e aquicultura. 

Explore mais da Campanha 2021 do Dia Internacional da Juventude do WorldFish.

*Sean, Lee é especialista em comunicações científicas. Artigo feito para o site do WorldFish, instituição sem fins lucrativos líder em pesquisa e inovação com foco em alimentos aquáticos para a transformação do sistema alimentar para pessoas e planeta saudáveis

 

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário