Português Italian English Spanish

SEMANA DO PESCADO/ENTREVISTA – “A Semana do Pescado é muito importante para desazonalizar o consumo de pescados no país”, diz Raphael Sampaio, da Coqueiro

SEMANA DO PESCADO/ENTREVISTA – “A Semana do Pescado é muito importante para desazonalizar o consumo de pescados no país”, diz Raphael Sampaio, da Coqueiro

Data de Publicação: 3 de setembro de 2021 15:19:00
Como parte da programação de apoio do PISCISHOW & AVISULEITE à Semana do Pescado, o gerente executivo da Coqueiro, Raphael Sampaio Fernandes, é mais um dos nossos entrevistados virtuais.

 

Em arte da Cerrado Comunicação, alguns dos  produtos Coqueiro


*Por Antônio Oliveira

Itajaí e Navegantes, no estado de Santa Catarina são, juntas, o maior polo de pesca e de indústria de pescados. Em Navegantes está a planta da Camil, proprietária das marcas Coqueiro e Pescador e a maior indústria de pescados daquela região.

A empresa beneficia, anualmente,  média de 7 milhões de caixas de sardinhas e atum, gerando mais de 1000 empregos diretos. Conforme a Camil, que tem origem no beneficiamento de arroz e feijão, sua planta em Navegantes tem grande importância para o grupo, pois é nela que concentra toda a produção de pescados para atender a demanda nacional que, às vezes, tem que ser complementada com peixes importados de outros países.

Como parte da programação de apoio do PISCISHOW & AVISULEITE à Semana do Pescado, o gerente executivo da Coqueiro, Raphael Sampaio Fernandes, é mais um dos nossos entrevistados virtuais. No bate-papo esclarecedor,  ele desmitifica certos mitos atribuídos aos pescados enlatados; fala do desempenho das marcas Coqueiro e Pescador no mercado nacional; do processo de industrialização e, ainda, sobre a importância da Semana do Pescado para estes dois produtos.

-  Essa iniciativa visa mostrar os benefícios dos pescados para os consumidores, ressaltando que por serem saudáveis e versáteis, eles são uma ótima opção protéica para o dia a dia dos brasileiros, podendo ser usados em diversos tipos de receitas.

Seguem, os principais trechos da entrevista.

Raphael Sampaio Fernandes, gerente executivo da Coqueiro (Foto: Divulgação)

PISCISHOW & AVISULEITE – De 1937, ano de fundação da Coqueiro, a  2021, mais de 80 anos no mercado de pescados enlatados. Qual a visão que o senhor tem  do paralelo do  desenvolvimento desta empresa e o desenvolvimento da pesca e aquicultura – e da agroindústria dos dois setores -, no Brasil ?

Raphael Sampaio Fernandes – A marca foi fundada em 1937 por José Emílio Tarragó com o nome de Tarragó, Martinez e Cia Ltda., que, depois, adotou o nome de Indústria de Conservas de Peixe Coqueiro. A Coqueiro evoluiu muito ao longo destes 80 anos de história no Brasil. Desde então as embalagens ficaram mais modernas e seguras, além do abre fácil – tecnologia que facilitou muito a abertura das latas. Em termos de portfólio também avançamos: a empresa começou com a comercialização somente de sardinhas, depois começamos a comercializar o atum. Hoje, já contamos com um amplo portfólio que vai além do atum e sardinha, temos patês, filés, molhos e linha food service. A Coqueiro é, hoje, referência em pescados em lata e líder na categoria sardinha no país.

Não temos como opinar ou dar informações especificamente sobre Aquicultura, pois não é nosso segmento de atuação.

PISCISHOW & AVISULEITE – A empresa saiu das mãos do seu fundador, José Emílio Terragó, e passou pelas mãos de dois grandes grupos – Quaker e Pepsico -, e, atualmente, está sob o comando de outra gigante, a Camil. Como foi esta evolução, e o que mudou desde a fundação da empresa aos dias de hoje?

 

Raphael Sampaio Fernandes – Desde sua origem, Coqueiro trouxe para o mercado alimentício brasileiro a possibilidade de distribuição e maior acessibilidade do consumo de peixe para toda população, através do seu processo produtivo que oferece longa durabilidade e segurança alimentar para os produtos. Este pioneirismo e visão empreendedora da marca tem grande sinergia com os valores da Camil Alimentos, que enxergou nas categorias de pescados a oportunidade de aproveitar a estrutura interna de distribuição dos produtos do portfólio de grãos e relacionamento com clientes que temos, oferecendo mais um alimento de qualidade e que complementa o tradicional Arroz e Feijão. A Camil Alimentos entra com ampla experiência e conhecimento no mercado alimentício brasileiro, agregando para a marca Coqueiro.

Para ampliar a presença da Camil Alimentos no segmento de pescados, a companhia adquiriu também a marca Pescador, como uma alternativa mais acessível de sardinha e atum em lata, se adequando para diferentes necessidades dos seus consumidores.

PISCISHOW & AVISULEITE – Qual é, hoje, a participação de pescados enlatados no mercado nacional de pescados de cultivo e de pesca?

Raphael Sampaio Fernandes - Não temos como opinar neste assunto de pescados de cultivo, pois não é nosso segmento de atuação.

PISCISHOW & AVISULEITE – O enlatamento de peixes de cultivo ainda é incipiente e tímido, embora o setor venha crescendo muito e empurrado pela tilápia, a espécie que, no Brasil, tem o melhor pacote tecnológico  – da produção ao produto final. Como a Coqueiro vê este mercado, tem interesse nele?

Raphael Sampaio Fernandes - Não temos como opinar neste assunto de pescados de cultivo, pois não é nosso segmento de atuação.

PISCISHOW & AVISULEITE – Gostaria de, por meio desta entrevista,  esclarecer ao consumidor brasileiro de pescados o que é mito e o que é verdade na indústria de enlatados de pescados. Primeiro: o pescado enlatado contém conservantes?; segundo, ele conserva o sabor natural do produto?

Raphael Sampaio FernandesNão contém conservantes. Os produtos Coqueiro não possuem nenhum ingrediente (aditivo) que tenha a função de conservar o 

 

produto por mais tempo na embalagem. E no caso dos produtos Coqueiro, não existe a necessidade de utilizar conservantes, pois ao longo do seu processo produtivo, os produtos passam pelo processo de esterilização (um tratamento térmico que cozinha o alimento, e elimina os micro-organismos), é esse processo referente à temperatura mais a lata (que propicia isolamento do alimento do contato com ar) que garante a segurança do alimento, sendo possível sua conservação sem nenhum conservante e ou aditivo.

E sim, o sabor original dos peixes, assim como seu valor nutricional, são conservados, justamente por passar apenas por tratamento térmico, que conserva e cozinha o alimento. Exceto nas variantes que temos onde são adicionados sabores como os produtos no molho de tomate ou a sardinha limão ou ervas finas, por exemplo.

PISCISHOW & AVISULEITE – Descreva para nós como é a linha de produção de sardinhas e atuns, principais produtos da Coqueiro. Da pesca à lata ou outro tipo de embalagem.

Raphael Sampaio FernandesAs etapas de produção dos pescados são: pesca, recepção, controle de qualidade, evisceração (remoção do rabo, cabeça e vísceras), envase (colocação na lata), recebimento do líquido de cobertura (óleo, água ou molho de tomate), recravação (colocação da tampa), esterilização e encaixotamento.

PISCISHOW & AVISULEITE – O consumo de pescados no Brasil, ainda é muito pequeno e o potencial de consumo a ser preenchido muito grande. As estrelas dos setores de proteína animal nos açougues, supermercados e restaurantes são o frango, o suíno e a carne bovina. O que é preciso para que os pescados tenham grandes espaços no mercado?

Preparo preliminar do pescado na planta de Navegantes (Foto: Divulgação)

 

Raphael Sampaio Fernandes – Acreditamos que é preciso maior disseminação do quanto os pescados são proteínas leves e de qualidade, e que trazem muitos benefícios à saúde. As Sardinhas e os Atuns Coqueiro apresentam quantidades relevantes de proteínas de alta qualidade, gorduras boas (com destaque para o ômega-3) e vitamina D. Sem contar que tanto o atum quanto a sardinha são opções de proteína mais baratas e mais nutritivas do que várias carnes vermelhas.

Além disso, os pescados enlatados não possuem conservantes, passando apenas por um processo térmico de cozimento, que elimina os micro-organismos e garante a conservação do produto por mais tempo. E ainda há o ponto da praticidade, pois são alimentos já prontos para o consumo e bastante práticos para o dia a dia.

PISCISHOW & AVISULEITE – Qual foi o grau de retração do mercado de pescados enlatados durante esta pandemia do Coronavírus?

Raphael Sampaio Fernandes – Quando olhamos para o volume total do mercado de pescados tivemos um aumento em 2020 em relação ao ano anterior: +9,8% 2020 vs 2019. Atribuímos este crescimento em 2020 à volta das pessoas para o hábito de cozinhar durante o período, e busca por melhor alimentação, sem abrir mão da praticidade.

Porém, nesse início de 2021, sentimos uma pequena retração do mercado.

PISCISHOW & AVISULEITE –  Que lição esta crise pode deixar para a empresa?

Raphael Sampaio Fernandes – O período da pandemia, o qual ainda estamos vivendo, nos mostrou o quanto as pessoas buscaram consumir e preparar mais seus alimentos dentro de casa. Muitos voltaram para a cozinha, garantindo maior saudabilidade, mas sem abrir mão da praticidade também. Isso para nós foi bastante importante para renovarmos nosso compromisso com os consumidores de abastecimento sempre com produtos de alta qualidade. Nos tornamos mais flexíveis e resilientes nesse ambiente tão desafiador. Esses aprendizados serviram também de inspiração para a campanha atual de Coqueiro: “Rende Mais Possibilidades na Sua Mesa” para levar ao consumidor diferentes formas de consumo, inspirando novas aplicações práticas e deliciosas.

PISCISHOW & AVISULEITE – A Coqueiro está entre os patrocinadores da Semana do Pescado. Qual é a importância desta iniciativa para o setor que o senhor representa?

Raphael Sampaio Fernandes – A Semana do Pescado é muito importante para desazonalizar o consumo de pescados no país, bastante concentrado no período da quaresma, estimulando o consumo e fazendo com que o setor cresça cada vez mais e se posicione como um dos principais do país.

PISCISHOW & AVISULEITE – E para o consumidor, qual é a importância desta iniciativa?

Raphael Sampaio Fernandes – Essa iniciativa visa mostrar os benefícios dos pescados para os consumidores, ressaltando que por serem saudáveis e versáteis, eles são uma ótima opção protéica para o dia a dia dos brasileiros, podendo ser usados em diversos tipos de receitas.

PISCISHOW & AVISULEITE – Nós agradecemos por esta entrevista e o deixamos a vontade para acrescentar informações outros que achar necessárias.

Raphael Sampaio Fernandes – A Coqueiro está sempre em busca de se aproximar cada vez mais de seu consumidor final, levando informações que esclareçam os mitos que ainda existem na categoria dos pescados enlatados e o quanto eles podem ser uma ótima opção para a alimentação do dia a dia. Neste ano, nós estamos trabalhando com a campanha ‘Rende mais possibilidades na sua mesa’, que busca mostrar a praticidade dos produtos Coqueiros e as mais diversas variedades de pratos que eles podem resultar. A embaixadora da campanha é a atriz Juliana Paes, e junto com ela trazemos um time de celebridades e influenciadores digitais que compartilham com o público receitas com o atum e a sardinha.

*Com o apoio da 2PRO, assessoria de comunicação da Semana do Pescado

 

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário