Português Italian English Spanish

Câmara setorial da piscicultura do TO elege nova diretoria no próximo dia 8

Câmara setorial da piscicultura do TO elege nova diretoria no próximo dia 8


A câmara setorial tem como objetivos específicos, de acordo com o Artigo nº 5, do Capítulo III, do documento, ser o sistema de governança do Plano de Desenvolvimento da Piscicultura no Tocantins

*Da Redação

Criada pelo Governo do Tocantins, em 2019, a  Câmara Setorial da Piscicultura do Tocantins tem como objetivo fortalecer o segmento produtivo da piscicultura, a fim de oferecer os meios institucionais e sinalizar caminhos para a elevação da produção, de uma forma organizada e sustentável, e assim trazer geração de renda, empregos e qualidade de vida.

Ela é composta por representantes de  instituições públicas, privadas e organizacionais e gerida pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura do Estado (Seagro). A Câmara é também a primeira estrutura formalizada na piscicultura tocantinense, que contempla toda a cadeia.

De acordo com o secretário executivo da Câmara Setorial da Piscicultura, Thiago Tardivo, com um corpo técnico engajado, o grupo busca ser um fórum da piscicultura, promovendo o desenvolvimento sustentável da atividade da piscicultura no Tocantins, além de atender diretamente vários produtores auxiliando e dando suporte na execução de várias ações.

- Atendemos desde demandas simples, até dúvidas mais complexas. A intenção é unir esforços e participar ativamente do segmento da piscicultura, criando mecanismo para o desenvolvimento da criação de peixe no Estado - afirmou Thiago adiantando que no próximo dia 08 de fevereiro será realizada reunião da câmara para tratar da entrada de novos membros, com a eleição para presidente e vice-presidente e planejamento das ações de 2021.

 

Além dessas metas, a entidade também terá como incumbência propor ações que promovam o desenvolvimento do segmento (Foto: Seagro-TO)

Composição


A Câmara Setorial é composta de membros da Secretaria de Desenvolvimento da Agricultura, Pecuária e Aquicultura – SEAGRO; Secretaria da Fazenda – SEFAZ; Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços – SIC; Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos – SEMARH; Agência de Fomento;  Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins - RURALTINS; Instituto Natureza do Tocantins – NATURATINS, Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins- ADAPEC; Embrapa Pesca e Aquicultura; Universidade Federal do Tocantins – UFT; Universidade Estadual do Tocantins – UNITINS, Faculdade Católica do Tocantins – FACTO; Superintendência Federal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Estado do Tocantins - SFA-TO; Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE-TO; Federação das Indústrias do Estado do Tocantins – FIETO; Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR; Representante do setor de produção de formas jovens; Representante do setor de ração; Representante do setor da indústria frigorífica; Representante do setor da piscicultura da agricultura familiar; Representante de piscicultura empresarial intensiva; Representante do setor do comércio e Representante de associação de piscicultores.

Objetivo


A câmara setorial tem como objetivos específicos, de acordo com o Artigo nº 5, do Capítulo III, do documento, ser o sistema de governança do Plano de Desenvolvimento da Piscicultura no Tocantins, propor políticas públicas para o setor piscícola integrando as atividades das instituições envolvidas e discutir os problemas e sugerir soluções que afetam o processo de produção, industrialização e comercialização do pescado e de subprodutos gerados na atividade.

Além dessas metas, a entidade também terá como incumbência propor ações que promovam o desenvolvimento do segmento e potencializar a atuação de entidades e empresas indicadas a implementar soluções para dificuldades enfrentadas pelo setor, aproveitar as potencialidades em busca de fortalecimento e debater assuntos específicos, assim como, formular proposições de interesse do segmento, relacionadas com a política agropecuária, meio ambiente e seus aspectos conjunturais e estruturais.

*Com informações da Ascom/Seagro-TO