segunda, maio 21, 2018

GENÉTICA – Brasil desenvolve seu primeiro sistema de avaliação genômica para gado leiteiro – Piscishow&Avisuleite GENÉTICA – Brasil desenvolve seu primeiro sistema de avaliação genômica para gado leiteiro – Piscishow&Avisuleite

Destaques

GENÉTICA – Brasil desenvolve seu primeiro sistema de avaliação genômica para gado leiteiro

Publicado em 10/05/2018

GENÉTICA – Brasil desenvolve seu primeiro sistema de avaliação genômica para gado leiteiro

*Da Embrapa

Foi anunciado na última terça-feira, 08, o primeiro produto brasileiro de avaliação genômica para rebanhos leiteiros, cujo objetivo é selecionar animais geneticamente superiores. O serviço leva o nome de “Clarifide Girolando” e é voltado para essa raça bovina, resultante do cruzamento entre Gir Leiteiro X Holandês, e que é de grande importância para a pecuária leiteira nacional. A solução é fruto de parceria público-privada que envolveu a Embrapa, a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando e as empresas CRV Lagoa e Zoetis.

Segundo o pesquisador da Embrapa Gado de Leite, Marcos Vinícius Barbosa da Silva, o Clarifide é resultado de seis anos de pesquisas em genômica, genética molecular e bioinformática.

– Reunimos o que há de mais avançado nos conhecimentos de genoma e sistemas computacionais para avaliar as informações provenientes de um chip com centenas de milhares de dados relacionados ao DNA bovino – conta o cientista.

A avaliação genômica abre grandes possibilidades para o melhoramento dos rebanhos (Foto: Embrapa)

A avaliação genômica abre grandes possibilidades para o melhoramento dos rebanhos (Foto: Embrapa)

A solução já está disponível no mercado. Os interessados devem procurar a Zoetis, caso se interessem em fazer a avaliação genômica de fêmeas. Para a avaliação de machos, a empresa credenciada é a CRV Lagoa.

A seleção dos animais superiores para os sistemas de produção de leite é feita a partir de uma amostra de material biológico que contenha células do bovino (veja no quadro abaixo a comparação entre o processo de melhoramento tradicional e a avalição genômica). As informações genéticas coletadas são comparadas com as que estão disponíveis no chip do “Clarifide Girolando”. Como resultado desse trabalho, o produtor recebe uma série de informações a respeito do animal, como produção e proteínas do leite, se é portador de genes que produzam defeitos genéticos, capacidade reprodutiva e outros dados necessários para que o processo de melhoramento do rebanho seja efetivo.

Melhoramento genético tradicional X seleção
por meio da avalição genômica

Alguns países já abandonaram os programas de melhoramento genético tradicionais, investindo na seleção genômica. Com o “Clarifide Girolando”, o Brasil começa a trilhar esse caminho para essa raça bovina. As vantagens da seleção por meio da avalição genômica em relação à tradicional incluem menor custo dos procedimentos e rapidez nos resultados.

Melhoramento tradicional

No melhoramento tradicional, por meio do teste de progênie, os indivíduos são comparados com base na produção de leite das filhas:

→ O criador seleciona o touro que ele acredita ser o melhor.

→ O touro é submetido a um pré-teste durante cinco meses, quando alguns critérios como a produção e a qualidade do sêmen são avaliados.

→ Aprovado no pré-teste, o touro é inserido no teste de progênie propriamente dito.

→ Vacas de várias fazendas, que participam do programa, são inseminadas com o sêmen desse touro.

→ As filhas do touro nascem, crescem, reproduzem e começam a produzir leite;

→ Ao final da lactação, tem-se a produção da vaca.

→ As informações de interesse econômico coletadas durante este processo serão publicadas em um sumário, onde o touro será ranqueado.

Avaliação genômica

No melhoramento por meio da avaliação genômica, os animais são selecionados pela bagagem genética contida no DNA:

→ O criador seleciona o touro que ele acredita ser o melhor.

→ Uma mostra do material genético do touro (sangue) é coletada e enviada ao laboratório credenciado.

→ O criador recebe o valor genômico do touro (uma espécie de perfil genético do animal). De posse dessa informação, ele pode ou não inserir o touro em um programa de melhoramento.

Obs.: a seleção genômica também pode ser feita com fêmeas e embriões.

Seleção antes de o animal nascer

A avaliação genômica abre grandes possibilidades para o melhoramento dos rebanhos. Ela permite, por exemplo, que o animal seja selecionado antes mesmo de nascer. É possível retirar uma pequena amostra (dez células) de um embrião após sete dias da fecundação in vitro (fertilização realizada no laboratório) e, por meio dessas poucas células, analisar todo o seu genoma. Caso o embrião possua as características desejáveis, ele é transferido para a vaca (barriga de aluguel) que irá proceder a gestação. Do contrário, poderá ser descartado. Além de economizar tempo, esse procedimento otimiza as barrigas de aluguel, pois a vaca passará a gerar somente os melhores embriões previamente selecionados.

Além da maior confiabilidade das informações, o coordenador do Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando (PMGG), Marcello Cembranelli, aponta a redução do tempo de avaliação dos animais, com a consequente redução dos custos, como a grande vantagem do Clarifide. Atualmente, a seleção de um touro para o teste de progênie (processo que indica os melhores reprodutores com base nas características das filhas) custa cerca de R$ 250 mil. Trata-se de um processo demorado, que pode durar por volta de dez anos.  Com o “Clarifide Girolando”, isso é racionalizado, pois os resultados saem na hora e não é necessário avaliar a qualidade das gerações seguintes para identificar um bom reprodutor.

A redução de custos permite que pequenos e médios produtores possam inscrever seus animais nos testes de progênie. Supondo que o criador tenha vários tourinhos (potenciais reprodutores) com o mesmo grau de parentesco (irmãos completos), caso o criador possua recursos para inscrever apenas um indivíduo no teste, a comparação do genótipo de cada um deles por meio do “Clarifide Girolando” definirá o tourinho mais adequado ao programa.

– A introdução da avaliação genômica no programa de melhoramento democratiza as oportunidades da seleção, na medida em que permite que um número maior de produtores tenha acesso ao serviço – declara Cembranelli.

– Haverá um grande salto de qualidade no programa de melhoramento. Por isso, a Associação Brasileira de Criadores de Girolando investiu nas pesquisas o seu bem mais precioso: o banco de dados de produção e pedigree. Temos certeza que a avaliação genômica terá alta confiabilidade e será uma importante ferramenta de decisão para os nossos mais de três mil associados em todo o País – declara Cembranelli.

Para o produtor Guilherme Marquez, da Fazenda Santa Gertrudes, em Uberaba (MG), a avaliação genômica surge como um importante recurso para o processo de seleção dos animais.

– O “Clarifide Girolando” vem para nos dar mais informações e nos ajudar a antecipar as decisões, ou seja, conseguiremos ter resultados do processo de seleção com mais antecedência. Isso é de extrema importância para fazermos as mudanças necessárias no rebanho, de acordo com os planos de trabalho da fazenda. É muito importante para que possamos evoluir e ter animais melhores – destaca o pecuarista.

Fruto de parceria público-privada

O “Clarifide Girolando” é resultado de uma parceria público-privada formada pela Embrapa, pela Associação Brasileira de Criadores de Gado Girolando e outras duas empresas:

Zoetis – Líder mundial em saúde animal, utilizou sua experiência em genômica de outras raças de gado de leite e corte, como Holandês, Jersey, Pardo Suíço, Nelore e Angus, em diversos países. A companhia realizou a genotipagem dos 5,6 mil animais avaliados durante a pesquisa em seu laboratório no estado do Michigan, nos Estados Unidos.  De acrodo com Cleocy Fam de Mendonça Júnior, gerente de Produto de Bovinos de Leite da Zoetis, a avaliação genômica favorece tanto os grandes quanto os pequenos produtores, ao democratizar a genética.

– O Clarifide Girolando é acessível ao pequeno pecuarista e esse é um fator especialmente importante neste momento em que a pecuária leiteira brasileira passa por transformações, reduzindo o número de propriedades e as margens de rentabilidade. O cenário requer profissionalização.

A companhia terá exclusividade nos testes para avaliação de fêmeas.

CRV Lagoa – Integrante da CRV, cooperativa belgo-holandesa de melhoramento genético formada por 35 mil produtores, a CRV Lagoa forneceu ao projeto muitas informações de sua sede, na Holanda, abrangendo dados de touros holandeses que fazem parte dos acasalamentos do Girolando – o que contribuiu para fortalecer todo o processo de desenvolvimento da nova tecnologia.

– Também participamos de pesquisas de mercado que ajudaram a associação e a Zoetis, fornecendo dados para que a Embrapa gerasse todas as informações durante o trabalho do processo no campo, captando informações e tornando cada vez mais viável a utilização do produto – relata Cesar Franzon, gerente de Inovação e Rebanho da CRV Lagoa.

A CRV Lagoa vai trabalhar com exclusividade no teste dos machos e terá foco na avaliação dos touros candidatos ao teste de progênie, pensando também em touros de monta natural e reprodutores que já estão sendo envolvidos nas centrais de inseminação.

*Com edição de Cerrado Rural Agronegócios

Relacionados

Veja Tambem